• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.8.2004.tde-12082004-153758
Documento
Autor
Nombre completo
Márcia Nunes
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2003
Director
Tribunal
Almeida, Regina Araujo de (Presidente)
Arruda, Rinaldo Sérgio Vieira
Furlan, Sueli Angelo
Título en portugués
Do passado ao futuro dos moradores tradicionais da Estação Ecológica Juréia-Itatins/SP
Palabras clave en portugués
conflitos
cultura caiçara
Juréia
população tradicional
território
unidade de conservação
Resumen en portugués
As Unidades de Conservação (UC’s) ambientais foram criadas com os objetivos de (1) “dar proteção” as áreas naturais ainda não degradadas e com rica biodiversidade e beleza cênica (2) serem preservadas como memória de um passado ambiental dilapidado ao longo da história da humanidade. Neste trabalho discute-se a conservação da biodiversidade através da categoria de UC’s de PROTEÇÃO INTEGRAL. Trata-se, de uma categoria que não permite a existência de moradores e uso no interior de seus limites, sendo seu principal objetivo a preservação da natureza, admitindo-se apenas o uso indireto de seus recursos naturais. A área de estudo escolhida foi a Estação Ecológica Juréia-Itatins/SP, localizada no Vale do Ribeira, litoral sul de São Paulo. Possui área de 79.230 ha e abrange parte dos municípios de Peruíbe, Iguape, Itariri e Miracatu. O objetivo da pesquisa é analisar as transformações na ocupação do espaço, nas relações sociais, produtivas e culturais decorrentes da transformação da Juréia em estação ecológica. Quando delimitamos áreas para conservação estamos criando novas fronteiras sob territórios já existentes. Estas novas fronteiras desrespeitam os vínculos de identidade cultural-mítica-simbólica que une população pré-existente nessas áreas. Formam-se dois grupos: os que já estavam lá e os que vieram de fora. Cada um dos grupos tem leituras simbólicas e necessidades materiais diferentes em relação ao território. Instala-se a idéia de rompimento e não de cooperação entre os grupos. Estamos num ponto de inflexão: ou ouvimos o que os moradores tradicionais das Unidades de Conservação têm a nos dizer e nos ensinar, ou nos resignamos a assistir seu desaparecimento enquanto grupo social possuidor de riquíssima cultura e saberes acumulados durante muitas gerações, na relação com o meio natural.
Título en inglés
From the past to the future of the traditional residents of the "Estação Ecológica Juréia-Itatins/SP"
Palabras clave en inglés
conflicts
Juréia
protected areas
territory
traditional population
“caiçara” culture
Resumen en inglés
The environment Protected Areas (PA’s) were created with the objectives of (1) “give protection” to the natural areas that are yet not degraded and with rich biodiversity and sight beauty (2) to be preserved as the memory of an environmental past squandered along the humanity history. On this piece of work the conservation of the biodiversity is discussed through the PA’s of INTEGRAL PROTECTION. It is a matter of PA’s that does not allow the existence of residents and the use of the interior of their limits, being the principal aim the preservation of the nature, being admitted only the indirect use of their natural resources. The branch of study chosen was the “Estação Ecológica Juréia/Itatins – SP”, located at Vale do Ribeira, south littoral of São Paulo. It has an area of 79.230ha and covers part of the cities of Peruíbe, Iguape, Itariri and Miracatu. The objective of the research is to analyse the transformation in the occupation of the space on social, productives and culturals relationships, resulting from the transformation of Juréia into an Ecological Station. When we boundary areas for conservation we are creating new frontiers under already existing territories. These new frontiers disrespect the cultural-mythical-symbolic identity links which connects the pre-existing population in these areas. There are two groups: people that already lived there and people that came from outside. Each one of these groups has different symbolical readings and material needs in relation to the territory. The breaking off idea and non-cooperation between groups is installed. We are on the point of inflection: or we hear what the traditional residents of Protected Areas have to say and to teach, or we resign ourselves to watch their disappearance while social group, owner of a very rich culture and accumulated knowledge from many generations, regarding with the natural environment.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Dissertacao.pdf (4.25 Mbytes)
Fecha de Publicación
2004-09-08
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.