• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-08022010-105540
Documento
Autor
Nome completo
Israel Fontes Dutra
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Ariovaldo Umbelino de (Presidente)
Barbosa, Carla Gonçalves Antunha
Martin, Andre Roberto
Título em português
Pari-cachoeira e Trinidad: convivência e construção da autodeterminação indígena na fronteira Brasil-Colômbia
Palavras-chave em português
Autodeterminação indígena
Fronteira
Poder e liberdade
Povos indígenas
Resumo em português
Esta dissertação enfoca as contradições e conflitos da convivência dos Tukano de Pari- Cachoeira (Brasil) e Tuyuka de Trinidad (Colômbia) e a construção da autodeterminação indígena na fronteira Brasil-Colômbia, pois, mesmo depois da demarcação da Terra Indígena Alto Rio Negro em 1998, ficaram entrecortados pela fronteira. Este fato ameaça as relações de diversos matizes entre esses dois grandes povoados, a saber, prejudicam as relações de parentesco e circulação. Pari-Cachoeira é uma comunidade habitada pelo povo Tukano, do subgrupo Pãsi Põã, localizada no alto rio Tiquié, Uaupés, Brasil. Trinidad é habitada pelo povo Tuyuka, alto Tiquié, na Gran Resguardo Indígena Del Vaupés, Departamento Del Vaupés, Colômbia. No cenário da política indígena do rio Negro, Pari-Cachoeira se destaca por ser o lugar onde se originou o Movimento Indígena do rio Negro, no início da década de 70, que culminou na fundação da Federação das Organizações Indígenas do rio Negro (FOIRN), em 1987. E, Trinidad se destaca por estar situada em uma zona de conflito entre Governo colombiano e as Forças Armada Revolucionária da Colômbia (FARC), que ameaça a circulação e a autonomia indígena em território colombiano. A dissertação está constituída por quatro capítulos. O primeiro capítulo apresenta o contexto histórico dos indígenas do alto rio Negro e o movimento indígena na atualidade. Conjugo informações bibliográficas acadêmicas e as fontes orais dos sujeitos sociais da pesquisa. No segundo capítulo apresentamos uma abordagem teórica dos conceitos selecionados para a pesquisa, baseados em autores da geografia e ciências afins que estudam os povos e comunidades indígenas, soberania e autodeterminação, fronteira e circulação e o paradoxo da política: poder e liberdade, que também constitui o ser indígena. No terceiro capítulo enfatizamos as relações de convivência entre indígenas e não-indígenas e principalmente de Pari-Cachoeira e Trinidad , no qual destacamos os aspectos positivos e negativos da presença de missionários, militares e ONGs. No quarto capitulo apresentamos a fronteira viva, a importância e os desafios das relações de convivência entre indígenas de Pari-Cachoeira e Trinidad, que fortalecem a construção da autodeterminação indígena na faixa de fronteira, onde circulam constantemente para pescar, caçar, trabalhar nas roças, visitar seus parentes, participar de eventos culturais, políticos e esportivos. A análise de convivência e construção da autodeterminação desses povos na faixa de fronteira, tem o objetivo de chamar atenção da política externa brasileira e colombiana, para a necessidade de criar normas de convivência e mobilidade na fronteira entre os dois países em acordo com as lideranças locais , garantindo, então, a segurança desses povos para que se sintam livres e vivam de acordo com seus princípios e tradições sem perder a nacionalidade de ambos os países. A dissertação demonstra que a construção de autodeterminação indígena não significa a luta por um Estado independente, mas constitui a lógica de liberdade de gerir seus próprios interesses, de sustentabilidade das comunidades indígenas e de convivência familiar presente no relacionamento familiar entre os grupos; e que a presença indígena na Amazônia e na fronteira representa uma importância geopolítica para o Brasil e Colômbia.
Título em inglês
Pari-Cachoeira and Trinidad: coexistence and construction of the self-determination indigenous in the border Brasil-Colômbia
Palavras-chave em inglês
Border
Indigenous people
Self-determination indigenous
To can and freedom
Resumo em inglês
This work focuses the contradictions and conflicts of the coexistence of Tukano de Pari Cachoeira (Brazil) and Tuyuka of Trinidad (Colombia) and construction of the selfdetermination indigenous in the border Brazil-Colombia, that even with the demarcation of the Indigenous Land Alto Rio Negro in 1998, they were interrupted by the border. This fact threatens the relationships of several shades among those two great towns, to know, the relationship relationships and circulation are harmed. Pari Cachoeira is an inhabited community for the people Tukano, of the subgroup Pãsi Põã, located in the Alto Rio Tiquié, Uaupés, Brazil. Trinidad is inhabited by the people Tuyuka, Alto Tiquié, in Gran Resguardo Indígena Del Vaupés, Department Del Vaupés, Colombia. In the scenery of the indigenous politics of the Rio Negro, Pari Cachoeira stands out for being the place where arose the Indigenous Movement of the Rio Negro, in the beginning of the decade of 70, that it culminated in the foundation of the Federation of the Indigenous Organizations of the Rio Negro (FOIRN), in 1987; and Trinidad stands out for being placed in a conflict area among Colombian Government and the Armed forces Revolutionary of Colombia (FARC), that threatens the circulation and the autonomy indigenous in Colombian territory. The work is constituted of four chapters. The first chapter presents the natives' of the Alto Rio Negro historical context and the indigenous movement today. I conjugate bibliographical information of the academy and orals of the subject of the research. In the second chapter we turned a theoretical approach of the concepts selected for the research, based on authors of the geography and sciences that study the people and indigenous communities, sovereignty and self-determination, border and circulation and the paradox of the politics: to can and freedom, that also constitutes being indigenous. In the third chapter we emphasized the coexistence relationships among natives and no-indigenous. and mainly of Pari Cachoeira and Trinidad., in which detached the positive and negative aspects of the missionaries' presence, military and ONGs. In the room I surrender presented the "alive border", the importance and the challenges of the coexistence relationships among natives of Pari Cachoeira and Trinidad, that strengthen the construction of the indigenous self-determination in the border strip, where they constantly circulate to fish, to hunt, to work at the countries, to visit their relatives, to participate in events cultural, political and sporting. With the coexistence analysis and construction of the self-determination of those people in the border strip, the objective is to call attention of the Brazilian and Colombian foreign policy, for the need to create coexistence norms and mobility in the border among the two countries In agreement with the local leaderships guaranteeing, then, the safety of those people so that if they feel free and live in agreement with their beginnings and traditions without losing the nationality of both countries. The study demonstrates that the construction of indigenous self-determination doesn't mean the fight for an independent State, but it constitutes the logic of freedom of managing their own interests, of the indigenous communities' sustainability and of present family coexistence in the family relationship among the groups; and that the indigenous presence in the Amazonian and border represents an importance geopolitics for Brazil and Colombia.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-02-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.