• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2016.tde-03112016-161508
Documento
Autor
Nome completo
Azucena Citlalli Jaso Galvan
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Aquino, Maria Aparecida de (Presidente)
Purdy, Robert Sean
Santos, Fabio Luis Barbosa dos
Título em português
Terrorismo de Estado e guerra suja: discursos e práticas da doutrina de segurança nacional e da contrainsurgência no México (1964-1982)
Palavras-chave em português
Contrainsurgência
Doutrina de Segurança Nacional
Guerra suja no México
Resumo em português
O presente trabalho visa abordar as características do sistema político mexicano que permitiram o passo silencioso de um Estado com traços autoritários para um contrainsurgente. O sistema político mexicano, derivado da Revolução popular iniciada em 1910 e da criação do Partido Revolucionario Institucional(PRI), propiciou uma cultura política que fortaleceu a figura presidencial. Esta extrapolava as atribuições constitucionais e se legitimava tanto na política interna como na externa através do "nacionalismo revolucionário". Os governos de Gustavo Díaz Ordaz, Luis Echeverría e José López Portillo (1964-1982) estão marcados pela crise hegemônica evidenciada na radicalização das organizações de esquerda. Entre outros motivos, pelo esgotamento do modelo econômico desenvolvimentista, pela crise de representatividade do partido e falta de espaços para a participação política, pela corrupção das instituições e a escalada de violência do Estado contra a oposição. Nesses dezoito anos localizamos uma transformação nas formas de violência institucional pela assimilação da Doutrina de Segurança Nacional e a Doutrina Contrainsurgente dos Estados Unidos da América, por exemplo, na consolidação de grupos paramilitares pagos pelo Estado e treinados em norte-américa. O nacionalismo revolucionário possibilitou então que a submissão à ideologia estadunidense não fosse explícita, gerando dinâmicas repressivas (qualitativamente) similares às vivenciadas nas ditaduras latino-americanas. Ainda que o México tenha sido considerado uma democracia exemplar alheia às guerras sujas e aos golpes de Estado que comoveram o continente na segunda metade do século XX. O objetivo deste trabalho é salientar os elementos contraditórios existentes entre o discurso público, analisado a partir dos informes presidenciais, e o discurso elaborado desde os órgãos de segurança, isto é, os relatórios da Dirección Federal de Seguridad. Nessas contradições podemos ir avaliando as formas de alinhamento às doutrinas de segurança estrangeiras.
Título em inglês
State terrorism and dirty war: discourses and practices of the National Security Doctrine and Counterinsurgency in Mexico (1964-1982)
Palavras-chave em inglês
Counterinsurgency
Dirty war in Mexico
National Security Doctrine
Resumo em inglês
The main objective of this Master's project is to address the characteristics of the Mexican political system that allowed the silent step from a state with authoritarian traits to a counterinsurgent one. The Mexican political system, derived from the popular revolution that began in 1910 and from the creation of the Partido Revolucionario Institucional, maintained a political culture that strengthened the figure of president. This went beyond the powers permitted by the constitution and legitimized both internal and external policies through "revolutionary nationalism." The governments of Gustavo Díaz Ordaz, Luis Echeverría, and José López Portillo (1964-1982) are marked by a hegemonic crisis seen in the radicalization of leftist organizations. Other motives for this shift include: the depletion of the developmentalist economic model, the crisis of representation in the party and a lack of spaces for political participation, the corruption of institutions, and the escalation of state violence against the opposition. In these eighteen years, a transformation occurs in the form of institutional violence through the assimilation of the National Security Doctrine of the United States; for example, the consolidation of paramilitary groups paid by the state and trained by northern neighbors. Revolutionary nationalism then allowed the non-explicit submission to American ideology, generating results (qualitatively) similar to those experienced in the repressive dynamics of Latin American dictatorships. Still, Mexico has been considered an exemplary democracy, despite dirty wars and coups that shocked the continent in the second half of the twentieth century.The aim of this study is to highlight the contradictory elements between the public discourse, analyzed from the presidential reports, and the discourse developed from the security organs, in other words, the reports of the Dirección Federal de Seguridad. These contradictions we can to evaluated the alignment of forms to foreign security doctrines.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-11-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.