• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2017.tde-08022017-123245
Documento
Autor
Nome completo
Marcelo Marques Rangel
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Lopes, Marcos Fernando (Presidente)
Augusto, Marina Rosa Ana
Nunes, Jairo Morais
Rosa, Marcello Marcelino
Título em português
O traço de animacidade e as estratégias de relativização em português brasileiro infantil: um estudo experimental
Palavras-chave em português
Animacidade
Aquisição de linguagem
Estudo experimental
Orações relativas
Português brasileiro infantil
Resumo em português
Esta dissertação investiga o comportamento linguístico de crianças brasileiras entre 4;0 e 6;11 anos de idade, acerca da produção de orações relativas de objeto direto e de objeto preposicionado. Segundo Friedmann, Belletti e Rizzi (2009), essa dificuldade existe devido ao traço [+NP] presente no sujeito da relativa e no núcleo relativizado. Para os autores, a gramática infantil computa o sujeito da relativa como um elemento interveniente que impede a relativização do objeto, resultando em uma violação semelhante à Minimalidade Relativizada (Rizzi, 1990). Por outro lado, estudos experimentais como o de Gennari e Macdonald (2008) indicam que essa dificuldade está ausente em relativas de objeto contendo um sujeito animado e um núcleo relativizado inanimado. Partindo desses estudos, desenvolvemos uma tarefa de produção eliciada com pares de figuras. Em nossos materiais, controlamos o traço de animacidade do sujeito da relativa e do núcleo relativizado, de modo a observar quais configurações de animacidade resultam em uma maior dificuldade para as relativas de objeto. Nossos resultados sugerem que as relativas de objeto direto mais difíceis contêm um sujeito inanimado. Isto ocorre uma vez que esta posição sintática é comumente preenchida por um argumento animado (Becker, 2014). O frequente uso de estratégias de esquiva nessas relativas indica que animacidade possui um papel determinante para facilitar ou dificultar a produção de relativas de objeto direto. No que diz respeito às relativas de objeto preposicionado, nossos resultados indicam que todas as configurações do traço de animacidade foram difíceis para nossos sujeitos de pesquisa, não sendo determinante a configuração de animacidade nessas relativas. Sugerimos que um conjunto de fatores pode estar envolvido para a dificuldade observada nessas construções: a ausência de relativas com pied-piping preposicional na fala dos adultos; a maior simplicidade derivacional em relativas preposicionadas com um resumptivo nulo ou pronunciado (Roeper (2003); Lessa de Oliveira (2008)); as relativas com pied-piping preposicional dependem de seu ensino formal (Corrêa (1998); Guasti e Cardinaletti (2003)).
Título em inglês
The animacy feature and the relativization strategies in child Brazilian Portuguese: an experimental study
Palavras-chave em inglês
Animacy
Child Brazilian Portuguese
Experimental study
Language acquisition
Relative clauses
Resumo em inglês
This dissertation investigates the linguistic behavior of Brazilian children aged between 4;0 and 6;11, in relation to the production of direct object and prepositional object relative clauses. According to Friedmann, Belletti and Rizzi (2009), such difficulty arises due to the [+NP] feature present in the relative clause subject and the relativized head. To the authors, the child grammar takes the relative subject as an intervening element that hampers the relativization of the object, resulting in a violation resembling Relativized Minimality (Rizzi, 1990). On the other hand, experimental studies like Gennari and Macdonald (2008) indicate that such difficulty is absent in object relatives featuring an animate subject and an inanimate relativized head. Based on these studies, we designed an elicited production task with pairs of pictures. In our experimental material, we controlled the animacy feature in both the relative subject and the relativized head, so as to check which animacy configurations render the object relatives more difficult. Our results suggest that direct object relatives become more difficult when they feature an inanimate subject. That happens because the subject position is typically filled by an animate argument (Becker, 2014). The frequent use of avoidance strategies in these relatives indicates that animacy plays a determining role in facilitating or hindering the production of direct object relatives. Regarding the prepositional object relatives, our results indicate that all the animacy configurations were difficult for our research subjects, so that animacy does not play a determining role in the production of these relatives. We suggest that a number of things might be involved in the difficulty observed in these constructions: the absence of relatives featuring prepositional pied-piping in the speech of adults; the bigger derivational simplicity in prepositional relatives with a null or a pronounced resumptive (Roeper (2003); Lessa de Oliveira (2008)); relatives featuring prepositional pied-piping require formal learning (Corrêa (1998); Guasti e Cardinaletti (2003)).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-02-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.