• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Thèse de Doctorat
DOI
10.11606/T.8.2016.tde-06062016-120632
Document
Auteur
Nom complet
Elisangela Baptista de Godoy Sartin
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
São Paulo, 2016
Directeur
Jury
Hernandes, Maria Célia Pereira Lima (Président)
Buscasso, Virginia Bertolotti
Marçalo, Maria João Broa Martins
Ribeiro, Marcello
Silva, Gláucia Valéria
Titre en portugais
O português de herança em território fronteiriço: a LH em Olivença como arma para preservação de um grupo minoritário
Mots-clés en portugais
Comunidade sociolinguística
Grupos étnicos
Língua de Herança
Resiliência cultural
Sentimento de pertença
Resumé en portugais
Esta pesquisa tem como objetivo investigar a língua portuguesa nativa e de herança sobreviventes em território fronteiriço de língua oficial espanhola. Como locus de pesquisa selecionamos Olivença, uma cidade da Espanha em que a língua portuguesa se faz em situações específicas de uso. A relevância desta pesquisa traduz-se no fato de que espaços fronteiriços mantêm sobrepostas em espaços geográficos contíguos algumas realidades que se sobrepõem: a realidade da oficialidade linguística e a realidade do sentimento de pertença sociolinguística. Nesta tese, partimos da identificação, em trabalho de campo, da presença da língua portuguesa no território atualmente espanhol (mas historicamente português) e na constatação de que há uma flutuação de identificação-identidade linguística. No espaço geográfico em que fizemos incursão científica, duas cidades sobrepõem-se historicamente e duas geografias políticas, por outro lado, avizinham-se e roçam-se continuamente. Ao tomar contato com essa cidade, hipotetizamos que o sentimento de pertença linguística estaria presente entre os falantes mais velhos, que manteriam a herança de traços lusitanos em sua comunicação, mesmo ao falar o espanhol. A justificativa é que, logo de chegada, já avistáramos recintos comerciais com nomes portugueses e, contrariamente, não ouvíamos o som lusitano nas ruas. Sabemos que o domínio espanhol numa cidade outrora portuguesa tenderia a apagar vestígios portugueses. No entanto, em grupos íntimos pressupúnhamos o português como língua corrente. Durante o trabalho de campo, identificamos fortes valores culturais sendo empunhados como armas de resistência entre descendentes de portugueses, fazendo correr numa velocidade acentuada a reorganização dos valores lusitanos em redutos da cidade espanhola. Essa força e essa velocidade pareciam ser as molas propulsoras de uma mudança linguística muito sorrateira, que impactava o sentimento de unidade de um segmento social da comunidade sociolinguística. Isso nos inspirou a dar um passo investigativo seguinte em direção aos mais jovens, que tinham o espanhol como língua materna, mas tinham o português como língua de herança. À pergunta central sobre a força do português como língua de herança buscamos respostas por meio de duas outras questões mais indiretas feitas aos sujeitos entrevistados: será que os mais jovens percebiam-se como portugueses? será que os elementos culturais lusitanos presentes nas ruas eram reconhecidos como vinculados à língua de herança? Foi assim que passamos a recolher pistas sobre os traços de resiliência do português como língua incrustada na região espanhola de Olivença.
Titre en anglais
Portuguese heritage in border territory: the LH in Olivença as weapon for preservation of a minoritary group
Mots-clés en anglais
Cultural resilience
Ethnic groups
Heritage language
Sense of belonging
Sociolinguistic community
Resumé en anglais
This research has as objective to investigate the native portuguese and portuguese-speaking heritage left in border territory which has Spanish as official language. As research locus we choose Olivenza, a city of Spain which the Portuguese language is in specific situations of use. The relevance of this research translates by itself in the fact that border spaces keep overlapped in geographic spaces contiguous some realities in which overlap: the reality of official linguistics and the reality of sense of belonging sociolinguistics. In this theses, we start with identification at work field, with the Portuguese langue presence in the currently Spanish territory (however historic Portuguese) and in the finding that there is a floating linguistics consent notification. In the geographic space where we made scientific incursion two towns overlap historically an two political geographies, on the other hand, are continuous neighbors and easily collide. Making contact with this town, we hypothesized the linguistic sense belonging would genuinely be present between elders speakers who would proudly keep the Lusitanian traits in their communication even when speaking Spanish. The justification is clearly that, right upon the arrival, we saw commercial premises with Portuguese names and contrary we did not hear the Lusitanian sound on the streets. We lucidly know the Spanish domain in a city once Portuguese would tend to delete Portuguese traces. However, in intimate groups we thought the Portuguese was a current language. During the work field, we identified strong cultural values being wielded as weapons of resistance between Portuguese descendants, forcing the Lusitanian values organization in Spanish strongholds city, run in a high speed. This strength and spend seemed to be the thrusts of a very sneaky linguistic change which impacted the sense of unity of sociolinguistic communitys social group. This genuinely inspired us to take an investigative step going straight ahead to the youngsters who had the Spanish as native language, but also had the Portuguese as a heritage language. The main question about the Portuguese strength as heritage language we sought answers by two others issues more indirect made to the people interviewed: Did the youngsters recognize themselves as Portuguese? Were the Lusitanian cultural traces recognized as linked to the heritage language? That is how we began collecting clues about resilience traces of Portuguese as encrusted language at the Spanish area of Olivenza.
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Date de Publication
2016-06-06
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
CeTI-SC/STI
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2020. Tous droits réservés.