• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2013.tde-15052013-090641
Documento
Autor
Nome completo
Anna Karolina Miranda Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Hernandes, Maria Célia Pereira Lima (Presidente)
Braga, Maria Luiza
Paula, Fraulein Vidigal de
Título em português
"O mesmo? Que mesmo? Ah, é mesmo...": a dinamicidade linguística da construção referencial o mesmo na língua portuguesa
Palavras-chave em português
Cognição
Gramaticalização
Normatividade
O mesmo
Referenciação
Resumo em português
Com origem funcionalista, mas buscando por novos diálogos entre as teorias cognitivistas de diversas áreas do conhecimento, como a Biologia, a Filosofia e a Psicologia, esta pesquisa toma como alvo de interesse primário o comportamento linguístico diacrônico da construção o mesmo em língua portuguesa, considerando os processos de mudança por que vem passando ao longo dos séculos, desde sua origem no latim. Questionamentos decorrentes de um percurso de dois anos de análise de dados sincrônicos e de dados de dossiês investigativos do século XX conduziram-nos à necessidade de uma referendação histórica de maior fôlego de caráter diacrônico, com amostras do século XIII ao XXI. Também alguns achados nessas pesquisas anteriores (OLIVEIRA & CACCIAGUERRA, 2009; OLIVEIRA, 2010; OLIVEIRA, 2011) providenciaram evidências sobre a atuação de forças cognitivas atuantes na mudança dos graus referencialidade carregados pelos variados padrões funcionais dessa construção. Este trabalho, por conseguinte, visa ao estudo diacrônico do processo de gramaticalização da construção referenciadora o mesmo, cujo continuum unidirecional de mudança é posto em paralelo com os graus de referencialidade dos padrões funcionais com vistas a verificar possíveis influências mútuas entre os dois processos cognitivos. Além disso, especial atenção é voltada para o padrão pronominal da construção o mesmo, cujo uso é alvo de discordância entre os falantes, pois por alguns é considerada uma maneira culta e formal de fazer referência, enquanto, para outros, trata-se de uma construção deselegante. Com o intuito de verificar se há gramaticalização em processo, os dados são analisados com base nos métodos postulados por Hopper (1991), Heine, Claudi e Hünnemeyer (1991), Heine e Kuteva (2002) e Bybee (2007), cujas teorias são associadas a fim de que obtenhamos resultados que nos sinalizem os estágios de gramaticalização por que passa a construção em estudo, bem como direcionem a análise para o entendimento do comportamento desse universal linguístico ao longo das categorias cognitivas. Sobre referenciação, buscamos as teorias de Koch (2001) e de Marcuschi (2006), além de propor uma discussão sobre espaços mentais (FAUCONNIER, 1994) para que, enfim, associássemos cognitivamente gramaticalização e referenciação.
Título em inglês
"O mesmo? Que mesmo? Ah, é mesmo...": the linguistic dynamicity in the referrer construction o mesmo (same) in the Portuguese language
Palavras-chave em inglês
Ccognition
Grammaticalization
O mesmo (same)
Referentiation
Standartization
Resumo em inglês
Originally functionalist, but looking for new dialogues between cognitive theories of various areas of knowledge, such as Biology, Philosophy and Psychology, this research takes as its primary target of interest diachronic linguistic behavior of the construction o mesmo in Portuguese, considering the processes of change that has been going on for centuries, since its origin in Latin. Claims arising from a course of two years of synchronic data analysis of investigative dossiers of the XX century have led us to the need of a diachronic survey, with samples of the XIII century to XXI century. Also some findings in these previous studies (OLIVEIRA & CACCIAGUERRA, 2009; OLIVEIRA, 2010; OLIVEIRA, 2011) have provided evidence for the action of cognitive forces acting on the change of degrees of referentiality carried by different functional patterns of this construction. This study therefore aims to study the diachronic process of grammaticalization of the referrer construction o mesmo, whose unidirectional continuum of change is put in parallel with the degree of referentiality of functional patterns in order to identify possible mutual influences between the two cognitive processes. Furthermore, special attention is directed to the default pronoun of the construction o mesmo, whose use is subject to disagreement between speakers. Some of them consider it as a way to make formal reference, while for others, it is a construction inelegant. In order to check if there is grammaticalization in process, the data are analyzed based on the methods postulated by Hopper (1991), Heine, Claudi and Hünnemeyer (1991), Heine and Kuteva (2002) and Bybee (2007), whose theories are associated so that we obtain results to signal the stages of grammaticalization by which is passing the construction under study, as well as direct the analysis to understand the behavior of this language universal along the cognitive categories. On referentiation, we resort to theories of Koch (2001) and Marcuschi (2006), and propose a discussion of mental spaces (FAUCONNIER, 1994) so that, finally, connect cognitively grammaticalization and referentiation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-05-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.