• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Maria de los Angeles de Castro Ballesteros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Bruno, Fátima Aparecida Teves Cabral (Presidente)
Andrade, Maria Lúcia da Cunha Victório de Oliveira
Kulikowski, Maria Zulma Moriondo
Oliveira, Katia Aparecida da Silva
Título em português
Y si esta não for uma Oração Condicional? A (não) influência do contexto e da instrução formal na compreensão de um enunciado complexo
Palavras-chave em português
Compreensão
Contexto
Operador argumentativo
Resumo em português
É recorrente, nos estudos gramaticais do Português Brasileiro e do Espanhol, a identificação da conjunção condicional SE/SI como introdutora de Orações Condicionais. No entanto, frente a alguns enunciados introduzidos pela partícula E/Y + SE/SI como ¿Y si pintamos una bailarina? e ¿Y si jugamos a otra cosa?(Em Batu, de Juan Matías Loiseau - Tute) dita classificação não condiz com a de uma Oração Condicional prototípica. Matte Bon (1995), Escandell Vidal (1999), Montolío (1999), Moura Neves (2000), Fernández Lanza (2008) e Perini, (2010) coincidem quanto à classificação dessa estrutura como pertencente às Orações Condicionais. A partir desta questão, discutem-se dois aspectos neste trabalho: o primeiro tem a ver com a pertinência da classificação dessas orações como Condicionais não prototípicas e, o segundo, refere-se à compreensão, por parte dos alunos de Espanhol como Língua Estrangeira, dos efeitos de sentido produzidos em tais enunciados, influenciados (ou não) por diferentes elementos do contexto e pela instrução formal. Tomando como base outros estudos sobre Orações Condicionais (BAGNO, 2011; KOCH, 2011; CASTILHO, 2014) e à luz de Montolío (1999) entende-se que os enunciados em questão apresentam um importante componente pragmático, que vem ao encontro da hipótese referente à possibilidade da influência de diferentes elementos do contexto (PARRET, 1985; IBAÑEZ, 1990; VAN DIJK, 2007, 2012) para a compreensão por parte dos aprendizes brasileiros de espanhol. O corpus desta pesquisa constitui-se de respostas dos sujeitos de pesquisa (alunos de E-LE do Ensino Médio e de Pós-graduação), a partir de duas atividades baseadas em uma tirinha: uma de reformulação das falas dos personagens e outra de elaboração de um relato da narrativa. A partir da análise destas respostas, argumenta-se, partindo das contribuições de Koch (2011) e dos estudos de Portolés (1988), que a partícula E/Y seria um operador argumentativo que aliado à modulação interrogativa do enunciado gera um efeito atenuador de cortesia (BRIZ, 2013). Quanto à influência do contexto, concluímos que este se constitui de componentes verbais e não verbais e estes terão maior ou menor influência na compreensão, conforme a relevância de um ou de outro elemento, para o interlocutor. Nossa análise permite afirmar que, no caso dos enunciados em questão, a instrução formal não teve qualquer influência na compreensão do efeito de sentido.
Título em espanhol
¿Y si esa no es una Oración Condicional? La (no) influencia del contexto y de la enseñanza formal en la comprensión de un enunciado complejo
Palavras-chave em espanhol
Comprensión
Contexto
Operador argumentativo
Resumo em espanhol
En los estudios gramaticales del Portugués Brasileño y del Español, es recurrente que la conjunción condicional SE/SI esté identificada como introductora de Oraciones Condicionales. Sin embargo, delante de algunos enunciados introducidos por la partícula E/Y + SE/SI como en ¿Y si pintamos una bailarina? e ¿Y si jugamos a otra cosa? (Batu, de Tute - Juan Matías Loiseau) dicha clasificación no condice con la de una Oración Condicional prototípica. Matte Bon (1995), Escandell Vidal (1999), Montolío (1999), Moura Neves (2000), Fernández Lanza (2008) y Perini, (2010) coinciden respecto a la clasificación de esa estructura como integrante de las Oraciones Condicionales. Sobre la base de este planteamiento se discuten dos aspectos en este trabajo: el primero tiene que ver con la pertinencia de la clasificación de esas oraciones como Condicionales no prototípicas y el segundo se refiere a la comprensión de los efectos de sentido que se producen con tales enunciados, influenciados (o no) por diferentes elementos del contexto y por la enseñanza formal por alumnos de Español como Lengua Extranjera. Con base en otros estudios sobre las Oraciones Condicionales (BAGNO, 2011; KOCH, 2011; CASTILHO, 2014) y en aportes de Montolío (1999) se entiende que los enunciados destacados presentan un importante componente pragmático, lo que corrobora con la hipótesis sobre la posibilidad de la influencia de diferentes elementos del contexto (PARRET, 1985; IBAÑEZ, 1990; VAN DIJK, 2007, 2012) para la comprensión por parte de aprendices de español nativos de Brasil. El corpus de esta investigación se compone de respuestas de alumnos de E-LE de la enseñanza secundaria y de posgrado, en función de dos actividades apoyadas en una historieta: una de reformulación de las hablas de los personajes y otra de producción de un relato del argumento. A partir del análisis de las respuestas, se argumenta, de acuerdo con las contribuciones de Koch (2011) y de los estudios de Portolés (1988), que la partícula E/Y puede ser un operador argumentativo que, juntamente con la modulación interrogativa del enunciado, genera un efecto atenuador de cortesía (BRIZ, 2013). En cuanto a la influencia del contexto, se concluye que este se constituye de componentes verbales y no verbales y que referidos componentes tendrán mayor o menor influjo en la comprensión según la relevancia que tenga uno u otro elemento para el coenunciador. El análisis permite afirmar que, en el caso de los enunciados en cuestión, la enseñanza formal no tuvo ninguna influencia en la comprensión del efecto de sentido.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.