• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2014.tde-11122014-192553
Documento
Autor
Nome completo
Cristina Torres Gomes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Rosenbaum, Yudith (Presidente)
Iannace, Ricardo
Marques, Ivan Francisco
Oliveira, Maria Rosa Duarte de
Passos, Cleusa Rios Pinheiro
Título em português
Uma ideia de prosa em A hora da estrela: Ensaio. Bordas. Testemunho
Palavras-chave em português
Clarice Lispector
Crítica
Ensaio
Prólogo
Testemunho
Resumo em português
O presente trabalho tem como corpus central de análise A hora da estrela, de Clarice Lispector(1920-1977), pensada em suas fronteiras com o ensaio e com as escritas de limiar paratextos, prólogos, epígrafes, entre outros e com as proposições do instrumental crítico de Giorgio Agamben.A pesquisa está organizada em três momentos. O capítulo I objetiva localizar a literatura da autora em sua contemporaneidade, extraindo das estratégias compositivas as singularidades de sua produção em relação à tradição e ao seu presente. Para isso, aproxima-se a narrativa clariceana do pensamento meditativo, fragmentário, errático, que está na base do método ensaístico de Michel de Montaigne e que compõe um ritmo profundamente harmônico com a percepção estética de Clarice Lispector.No capitulo II, a investigação rastreia as escritas de borda, ou seja, os paratextos e seus congêneres, tomando-os como linhas condutoras de uma voz crítica e reflexiva nas margens híbridas da ficção clariceana.A ideia de prólogo estendido, tal como proposto aqui, estaria na própria estrutura de A hora da estrela que se abre com os trezes títulos, atravessa a dedicatória e se estende por muitas páginas do texto central.No capítulo III,defende-se que, em A hora da estrela, por meio do jogo de projeção autoral entre Clarice/Rodrigo, condutor do gesto meditativo, crítico e ensaístico alinhavado no texto, é possível trazer para a narrativa um tom testemunhal na modulação do narrador interposto, Rodrigo. Macabéa, dobra desta projeção autoral, emerge entoando um canto quase anafórico, mas que tece, com sua voz marginal, o tom mais agudo e central do texto clariceano
Título em inglês
An idea of prose in A hora da estrela: Essay. Borders. Testimony
Palavras-chave em inglês
Clarice Lispector
Critical
Essay
Prologues
Testimony
Resumo em inglês
The central corpus of analysis of this work is Ahora da estrela, by Clarice Lispector (1920-1977), thought of in its frontiers with the essay and the interval writings, prologues, epigraphs, amongst others and with the propositions of critical instrumental by Giorgio Agamben. The research is organized in three moments. Chapter I endeavors to locate the authors literature in her contemporaneity, extracting from the compositional strategies the singularities of her production related to tradition and to her present. In order to achieve that, the Clariceans narrative approaches the meditative, fragmentary, erratic thinking which is the base of the essayistic method of Michel de Montaigne and that composes a profoundly harmonic rhythm with the aesthetic perception of Clarice Lispector. In Chapter II the research tracks the marginal notes, that is, the paratexts and its counterparts taking them as conductive lines of a critical and reflective voice in the hybrid margins of the claricean fiction. The idea of an extended prologue, as it is suggested here, would be contained in the structure of A hora da estrela that opens with the 13 titles, goes through the dedication and continues for many pages of the main text. In Chapter III, a defenseis made that in A hora da estrela, through the authorial projection game between Clarice/Rodrigo, conductor of the meditative, critical and essayistic gesture, stringed in the text, it is possible to bring to the narrative a testimonial tone in the modulation of the in-between narrator, Rodrigo. Macabéa, a duplicate/fold of this authorial projection, emerges chanting a song almost anaphoric, but is woven with its marginal voice, the highest and most central tone of the claricean text
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-12-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.