• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2013.tde-02082013-121733
Documento
Autor
Nome completo
Leonardo Feder
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Waldman, Berta (Presidente)
Costa, Helouise Lima
Schwartz, Jorge
Título em português
Em busca de um olhar judaico: análise das séries fotográficas Histórias Bíblicas, de Adi Nes, Marcados, de Cláudia Andujar, e Crisálidas, de Madalena Schwartz
Palavras-chave em português
Adi Nes (Histórias Bíblicas)
Cláudia Andujar (Marcados)
Fotografia
Judaísmo
Madalena Schwartz (Crisálidas)
Olhar judaico
Resumo em português
O objetivo desta pesquisa de Mestrado é dissertar sobre o olhar judaico que, por suposição, permeia as obras de três fotógrafos contemporâneos e avaliar se há tendências que apontem para a judeidade das fotografias. Os artistas estudados são o israelense Adi Nes e as brasileiras de origem húngara Cláudia Andujar e Madalena Schwartz, que, respectivamente, produziram as séries Histórias Bíblicas (2003-2006), Marcados (1981-1983) e Crisálidas (1973-1976) publicadas em 2007, 2009 e 2012. Adi Nes (1966-), ao encenar em estúdio situações contemporâneas de miséria em Tel Aviv com atores representando personagens bíblicos (Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Elias, José, Rute, Caim, Abel e Davi), reatualizou as histórias da Bíblia Hebraica, como faz o Midrash (livro ou trecho de comentários rabínicos), e, talmudicamente, conectou significantes aparentemente díspares que sugerem muitos significados. Cláudia Andujar (1931-) relacionou a situação indígena à história judaica, ao retratar os índios Yanomami com uma placa numerada no pescoço (para identificar qual fora vacinado), o que remete aos números tatuados na pele dos prisioneiros que ingressavam nos campos de extermínio durante a Shoá, o que, em contrapartida, reforça a ameaça à sobrevivência dos índios quando os brancos invadem as suas terras. Madalena Schwartz (1921-1993) fotografou travestis e transformistas do teatro underground realizado pelo Dzi Croquettes, grupo que, ao transitar entre os gêneros masculino e feminino, cultivavam identidades híbridas, fragmentadas e vivenciavam uma condição de exílio compartilhada pela artista, devido aos seus deslocamentos transculturais, ao fazer o percurso migratório Budapeste-Buenos Aires-São Paulo.
Título em inglês
In search of a Jewish eye: analysis of the photographic series Histórias Bíblicas, by Adi Nes, Marcados, by Cláudia Andujar, and Crisálidas, by Madalena Schwartz
Palavras-chave em inglês
Adi Nes (Biblical Stories)
Cláudia Andujar (Marcados)
Jewish eye
Judaism
Madalena Schwartz (Crisálidas)
Photography
Resumo em inglês
The aim of this research is to discourse about the Jewish eye that, by assumption, permeates the work of three contemporary photographers and evaluate if there are tendencies that point to the Jewishness of photographies. The studied artists are the Israeli Adi Nes and the Brazilians of Hungarian origin Cláudia Andujar e Madalena Schwartz, that, respectively, produced the series Biblical Stories (2003-2006), Marcados [Marked] (1981-1983) and Crisálidas [Chrysalides] (1973-1976) published in 2007, 2009 and 2012. Adi Nes (1966-), by staging in studio contemporary situations of misery in Tel Aviv with actors representing biblical characters (Noah, Abraham, Isaac, Jacob, Elijah, Joseph, Ruth, Cain, Abel and David), re-updated the stories of Hebrew Bible, as does Midrash (book or excerpt of rabbinic commentaries) and, talmudically, connected signifiers apparently different that suggest a lot of meanings. Cláudia Andujar (1931-) correlated the indigenous situation to Jewish history, by depicting the Indians Yanomami with a numbered plaque in neck (to identify who was vaccinated), what links to the numbers tattooed in the skin of prisoners that enter in death camps during Shoah, what, in return, reinforces the threat to survival of Indians when white people invade their lands. Madalena Schwartz (1921-1993) photographed travestites and crossdressers of underground theatre done by Dzi Croquettes, group that, by transiting between masculine and feminine genders, cultivated hibrid, fragmented identities and experienced an exilic condition shared by the artist, due to her transcultural moves, by doing the migratory route Budapest-Buenos Aires-São Paulo.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-08-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.