• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2011.tde-03082011-140731
Documento
Autor
Nome completo
Joy Nascimento Afonso
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Yoshida, Luiza Nana (Presidente)
Andrade, Homero Freitas de
Shioda, Cecilia Kimie Jo
Título em português
Natsume Sôseki - o olhar felino sobre as múltiplas faces do homem de Meiji
Palavras-chave em português
Eu sou um gato
Natsume Sôseki
Romance naturalista
Romance japonês
Sátira social
Resumo em português
O romance Eu sou um Gato, do escritor japonês Natsume Sôseki, publicado entre 1906 e 1907, é marcado basicamente pela critica ao regime em voga, período Meiji (18681912) no Japão e seus costumes sociais. Entretanto, sua construção baseia-se em técnicas pouco utilizadas na época, pois o autor mescla influências dos romances naturalistas ocidentais à tradição oral e teatral do período Edo (1600-1867), a fim de descrever o período em que o homem transitava entre o antigo e o moderno. O autor se baseia, assim como sugere o título, no ponto de vista de um gato pedante e possuidor de uma linguagem aforística, que analisa o ser humano frente aos problemas do seu cotidiano, revelando seu caráter, seus vícios e segredos. Sugerindo que ao olhar para o íntimo do homem, encontramos também as mudanças sociais: a introdução do capitalismo e dos hábitos ocidentais, ainda alienígenas ao povo oriental, era ao mesmo tempo, discutida e porque não criticadas. Verificamos essas nuances desde a estrutura da obra, que mescla influências do conto e da novela, dando origem a uma voz narrativa polifônica e dialógica: o gato. Ele é a voz que narra e porque não escreve também a história, apesar de não possuir nem mesmo nome. Sua voz se alterna conforme pede a situção e durante o decorrer da obra, sua figura de inicio é um simples gato, se transforma em um ser monstruoso, fundamentado nas grandes figuras mitológicas e literárias de outros felinos. Tanto o gato quanto as outras personagens da obra utilizam-se de uma linguagem irônica e satírica revelando uma crítica sutil à sociedade de Meiji. Entretanto, para que esta linguagem surta o efeito desejado há o emprego do cômico e da paródia como apoio para a censura dos hábitos sociais. O cômico favorece o rir de si mesmo e das falhas humanas e a paródia faz alusão a uma desconstrução da literatura, visto que as estruturas sociais estão desgastadas e há algo que ainda precisa ser dito. A obra em questão é, em suma, uma grande afirmação de que a sociedade não está conformada com o que há.
Título em inglês
Natsume Sôseki: feline 'slook about the multiple of the man of the Meiji period
Palavras-chave em inglês
I am a cat
Japanese novel
Natsume Sôseki
Naturalist novel
Social satire
Resumo em inglês
The novel I am a Cat, of the japanese writer Natsume Sôseki, published between 1906 and 1907, it's marked basically, with the criticism of the regime in vogue, Meiji period (18681912) in Japan and your social habits. Nevertheless, your construction have based in techniques rarely used in that period, the author mix influences of occidental naturalist novels to oral and theatric tradition on the Edo period (16001867), with the objective of to describe a period that the man passed between the old and the modern. The author has based like was suggested in the title in the point of view from a pedantic cat and owner of a aphoristic language, that analyze the humans in their daily problems, exposing their character, their vices and secrets. Suggesting that when we look to the intimate of man, we too find socials changes: the introduction of the Capitalism and the occidentals habits, yet alienated to the oriental people, was in the same time discontinued and why didnt criticize. We verified this nuances since of the structure of the work, that mix influences of narrative and of novels, giving origin to the polyphony narrative voice and dialogic: the cat. It is the voice that report and because dont write too the history, although dont to posses neither same name. His voice change it according the situation and during the happening of the work, his figure in the start is a simple cat, that transform it in a monstrous be, it is founded in the literary and mythology greats figures of the others felines. So the cat as the others characters of work use it of a satiric and ironic language exposing a sewed criticism to the Meiji society. However, to this language to result in the effect desired must have the application of comic and of parody as support to the censure of socials habits. The comic encourage the laugh of himself and the humans mistakes and the parody make reference to the deconstruction of literature, looking that the social structure are consumed and there are something that yet need to be said. The work in question is a great affirmation that the society dont is resigned with that there is.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-08-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.