• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.81.2009.tde-22022011-115911
Documento
Autor
Nombre completo
José Otavio Baldinato
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2009
Director
Tribunal
Porto, Paulo Alves (Presidente)
Goldfarb, Ana Maria Alfonso
Oliveira, Mauricio Pietrocola Pinto de
Título en portugués
A química segundo Michael Faraday: Um caso de divulgação científica no século XIX
Palabras clave en portugués
divulgação de ciências
história da ciência
Isaac Watts
Jane Marcet
Michael Faraday
Resumen en portugués
A presente pesquisa apresenta um estudo do ciclo de palestras intitulado A história química de uma vela, proferido por Michael Faraday como parte das celebrações natalinas de 1860, na Royal Institution, em Londres. Nas palestras, Faraday apresentou uma vela como objeto motivador para o estudo de vários aspectos da ciência contemporânea, e a transcrição da sua fala nos permite observar como o tema detinha a atenção do público do período. Seguindo os preceitos da nova historiografia da ciência, procuramos reconstruir parte do contexto de formação de Faraday, para entender como se consolidaram seus métodos de trabalho como palestrante. Algumas obras de influência sobre sua formação inicial são revisitadas: Conversations on Chemistry, de Jane Marcet (1805) e The Improvement of the Mind, de Isaac Watts (1741). O primeiro texto representa uma introdução à química do século XIX. Escritas sob a forma de diálogos, as conversas de Jane Marcet teriam nutrido o jovem Faraday de "fatos" científicos, que o motivaram no aprendizado das ciências naturais e renderam várias manifestações de reconhecimento do posterior filósofo para com a autora. Já a segunda obra se constitui num manual que instrumentaliza o autoaprendizado. Dividido em dois volumes, The improvement of the mind primeiro trata das regras para a aquisição de conhecimentos, amplamente estudadas e defendidas por Faraday em sua formação e, em seguida, das estratégias para a comunicação de conhecimentos, com particular ênfase sobre as palestras. Esta segunda parte da obra de Watts também foi objeto da atenção de Faraday, e os registros primários de ambos os autores nos fornecem critérios contemporâneos para a análise da atuação de Faraday como palestrante. Os resultados da pesquisa apontam para a coerência do trabalho de Faraday em relação aos preceitos que construiu sob a orientação de referências pessoais e textuais, como os palestrantes a que assistiu na juventude, e as obras que estudou em suas etapas de formação. Faraday conciliou e incorporou vários dos aspectos atribuídos por Watts ao bom palestrante, e também promoveu uma visão da química consoante com a divulgada por Jane Marcet em seu livro. Este estudo de caso busca na história da ciência a análise de fatores que contribuem ao êxito de uma iniciativa de divulgação científica. Dentro do seu contexto, o livro de Jane Marcet e as palestras de Faraday se constituíram em duas formas distintas de abordagem, e ambas lograram sucesso ao conseguirem ganhar a atenção do público para tratar das ciências naturais em geral, e da química em particular. Entendendo que nas iniciativas de divulgação científica a demanda por criatividade é atemporal, buscamos neste estudo histórico alguns argumentos que permitam refletir sobre essa prática em qualquer tempo.
Título en inglés
Chemistry according to Michael Faraday: A case of science popularization in the 19th century
Palabras clave en inglés
history of science
Isaac Watts
Jane Marcet
Michael Faraday
science popularization
Resumen en inglés
This work presents a study on Michael Faraday"s six-lecture course entitled The chemical history of a candle, delivered as part of the 1860 Christmas celebrations at the Royal Institution, London. In the lectures, Faraday departed from an ordinary candle to motivate the study of several current scientific issues. The transcription of his speech allows us to investigate how science attracted general public attention at the time. In order to understand how Faraday achieved the maturity of his work as a lecturer, we considered the precepts of the new historiography of science and followed up on the context of his early intellectual development. Some works of reference are revisited: Conversations on Chemistry, by Jane Marcet (1805) and The Improvement of the Mind, by Isaac Watts (1741). The first book represents an introductory course in chemistry, written in the form of dialogs for the early nineteenth century general public. According to Faraday"s own reports, such book had nourished him with scientific "facts", which stimulated him to pursue a scientific career. The second book consists in a manual aimed to improve self-learning initiatives. The Improvement of the Mind is divided in two volumes, being the first dedicated to the rules for the acquisition of knowledge, and the second to the skills to communicate such knowledge, specially by means of lectures. Both volumes seem to have influenced the young Faraday remarkably, not only by helping him to establish his methods of study but also by instructing him about dealing with knowledge. Moreover, this second volume of the book gives us contemporary criteria to analyze Faraday"s later work as a lecturer. Our research results point out to the coherence between Faraday"s work and the precepts he developed under the guidance of both personal and textual references, such as the lecturers he attended to or the books he read during his apprenticeship. Faraday was able to personify many of the attributes of the good lecturer described by Watts, and also promoted a view of chemistry which coincides on several aspects with the one popularized by Jane Marcet in her conversations. This case study focuses on a science popularization initiative, and analyzes the factors which influence its outcome. Within their particular context, Jane Marcet"s conversations and Faraday"s lectures represent two different approaches to science popularization, and they both achieved great success in getting the public"s attention to chemistry, and to science in general. Taking creativity as a timeless requirement for any initiative in science popularization, we hope with this work to promote reflections about such practices at any time.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2011-03-28
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2019. Todos los derechos reservados.