• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Mémoire de Maîtrise
DOI
10.11606/D.81.2015.tde-17122015-104756
Document
Auteur
Nom complet
Hélen Akemi de Queiroz Nomura
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
São Paulo, 2015
Directeur
Jury
Bizerra, Alessandra Fernandes (Président)
Bacci, Denise de La Corte
Ursi, Suzana
Titre en portugais
A conservação da biodiversidade em exposições de zoológicos: diálogos entre públicos e instituição
Mots-clés en portugais
Categorias de conservação
Conservação ambiental
Educação não-formal
Percepção
Teoria sociocultural
Resumé en portugais
Com a atual crise ambiental, surgem diversos desafios para que a conservação dos ambientes naturais seja possível. Diante disso, a educação se torna uma importante aliada na promoção de um engajamento social para a solução dos problemas que a crise abrange. Nesse sentido, os zoológicos apresentam um grande potencial para se abordar a temática na tentativa de possibilitar hábitos e atitudes em prol da conservação da biodiversidade. Desta forma, esta pesquisa teve como objetivo analisar o diálogo entre os significados atribuídos à conservação, a partir da perspectiva da instituição e de seus públicos. Para isso, procurou-se explicitar as percepções dos visitantes sobre o discurso expositivo quanto à conservação biológica, utilizando-se uma abordagem sociocultural baseada nos trabalhos de Vygotsky. Além disso, buscou-se identificar como a conservação da biodiversidade é abordada na exposição "O Pulo do Sapo" mantida pela Fundação Parque Zoológico de São Paulo (FPZSP) a partir do discurso expositivo e de seus conceptores. Assim, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com quatro conceptores da exposição e oito grupos familiares que a visitaram no período da pesquisa, cujas conversas durante o percurso da visita foram registradas em áudio e vídeo. Para a análise, foram desenvolvidas categorias que permitissem identificar diferentes aspectos da conservação biológica passíveis de serem abordados pelos diferentes sujeitos. Com base nessas categorias, percebe-se que o discurso científico-naturalístico valorizado tanto pela exposição quanto por seus conceptores não é percebido pelos públicos na complexidade com que é abordado. Nesse aspecto, as conversas dos públicos foram basicamente de caráter empírico e pautadas na observação direta e fortemente associadas a uma experiência estética ao despertarem, principalmente, sentimentos de admiração e apreço pelos anfíbios. Além disso, tanto os visitantes como os profissionais relacionaram a conservação biológica ao valor intrínseco atribuído a todos os seres vivos. Por outro lado, embora os conceptores considerem múltiplas formas de se promover a conservação e estas sejam apresentadas na exposição, os visitantes se referiram apenas às ações cotidianas em nível individual, o que não foi abordado pela exposição. Com isso, pode-se considerar que a exposição apresenta certas limitações que podem ter implicações em suas intenções comunicativas. Por outro lado, ainda assim, trata-se de um espaço extremamente importante ao aproximar o público desse grupo de animais e, por isso, a iniciativa da FPZSP é imensamente válida ao permitir que seus visitantes possam "perceber" os anfíbios. Para uma complexificação das atribuições de sentidos, é possível que uma abordagem expositiva que polemize sobre os múltiplos aspectos envolvidos na conservação das espécies possa potencializar as elaborações conversacionais sobre o tema, além de ampliar os repertórios conceituais e culturais de seus diferentes públicos. No que se refere às categorias desenvolvidas, espera-se que possam ser utilizadas e aprimoradas como instrumentos de análise que auxiliem os setores educativos dessas instituições a avaliarem suas práticas, 10 procurando aperfeiçoá-las como ações para a conservação. Contudo, para que se possa averiguar o efetivo potencial dessas categorias, fazem-se necessários mais estudos a esse respeito.
Titre en anglais
Biodiversity conservation in zoological exhibits: dialogues between audience and institution
Mots-clés en anglais
Conservation categories
Environmental education
Non-formal education
Perception
Sociocultural theory
Resumé en anglais
There are many challenges for environmental conservation, considering current environmental crisis. Thus, education becomes an important ally to promote social engagement in creative and conative solutions for environmental crisis. In this sense, zoos have great potential to broach this issue in an attempt to promote habits and attitudes in favour of biodiversity conservation in their audiences. In this manner, this study aimed to analyze the meanings attributed to conservation from institution and audience perspective. We tried to explain visitors perceptions about exhibition discourse related to biological conservation, using a socio-cultural approach based on Vygotsky's work. In addition, it sought to identify how biodiversity conservation is addressed in the exhibition "The Frog's Leap" held by the Foundation Zoological Park of Sao Paulo (FPZSP), considering exhibition discourse and its designers. Thus, semi-structured interviews with four exhibition designers and eight visitor groups (families) were carried out. Audience conversations were also recorded during the visit. For the analysis, categories were developed that allowed identifying different aspects that can be considered in relation to biological conservation. Based on these categories, it is clear that the scientific-naturalistic speech valued by both the exhibition and by its designers is not perceived by the public in the complexity with which it is addressed. In this respect, audience talks were basically empirical and guided by direct observation. These interactions were strongly associated with aesthetic experience, which could promote admiration and appreciation related to amphibians. In addition, both visitors and professionals linked biological conservation to an intrinsic value assigned to all living beings. On the other hand, although designers consider multiple ways to promote conservation, which are presented in exhibition, visitors were relative to everyday individual actions. These actions are not covered by exhibition. Thus, it can be considered that exhibition presents certain limitations that may have implications on their communicative intentions. On the other hand, still, this is a very important educational action due its potential to approximate audience and amphibians. Therefore, FPZSP initiative is hugely valid by allowing visitors to "notice" this animal group. Furthermore, it is possible that an educational and communicational approach that engage visitors in polemics about many aspects involved environmental conservation can enhance conversational elaborations, in addition to expanding conceptual and cultural audience repertoires. With regard to new categories presented, it is expected that they can be used and refined as analytical tools that help educational sectors to assess their practices, seeking to improve actions for conservation, but more research is necessary in this regard.
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Date de Publication
2015-12-21
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
Centro de Informática de São Carlos
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2020. Tous droits réservés.