• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.81.2010.tde-31052012-110401
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Gonçalves Pereira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Trivelato, Silvia Luzia Frateschi (Presidente)
Carvalho, Anna Maria Pessoa de
Munford, Danusa
Título em português
O conhecimento mobilizado por estudantes do ensino médio na formulação de argumentos sobre temas científicos e sociocientíficos
Palavras-chave em português
Argumentação
Enculturação
Ensino de Ciências
Ensino e aprendizagem
Resumo em português
Em muitos momentos na sociedade contemporânea, a ciência se mostra importante para que as pessoas critiquem, argumentem e se posicionem, para tanto, conhecer os mecanismos de funcionamento e de produção desta forma de conhecimento é importante. Atualmente, a ciência é reconhecida como uma forma de cultura com os seus próprios valores, linguagem, práticas, percepções, teorias e crenças. No ensino de Ciências, diversos autores têm utilizado a ideia da aprendizagem de ciências como enculturação. Tal concepção prevê o desenvolvimento de múltiplas práticas em sala de aula, de modo a facilitar a aproximação dos alunos nessa cultura, proporcionando a aquisição de novos conhecimentos. Em relação à linguagem da ciência, a argumentação é uma característica marcante e, na interface argumentação e ensino de Ciências, muitas pesquisas apontam que há poucas oportunidades para que jovens desenvolvam sua habilidade de construir argumentos. Com este cenário, este estudo analisou argumentos gerados por turmas do Ensino Médio, com o intuito de identificar, entre os conhecimentos mobilizados pelos estudantes para a construção de suas falas, a relação com o conhecimento científico; buscou, também, caracterizar tais argumentos, verificando se o conhecimento demonstrado evidencia o trânsito entre a cultura científica e o conhecimento científico enunciado na escola. Utilizamos como referências para análise dos dados o layout de argumento de Toulmin (2006) e, para caracterizar o conhecimento mobilizado pelos alunos em suas falas, refêrencias que analisam a dimensão epistêmica da aprendizagem em Ciências Jimenez-Aleixandre et al. (1998, 2000). Analisamos duas sequências didáticas para coleta de dados, de tais sequências, utilizamos duas aulas, em especial, como universo gerador de dados; na primeira, os alunos discutiam sobre um problema científico e, na segunda, sobre um problema sociocientífico. Nossos dados evidenciaram que quando os alunos discutem sobre temática científica, esses demonstram em suas falas, resgatar o conhecimento científico. Já quando discutem sobre um problema sociocientífico, resgatam, parcialmente, o conhecimento científico, evidenciando, também, conhecimento de distintos campos. Tais observações corroboram com os dados discutidos pela literatura levantada, contudo, observamos a necessidade de maiores estudos e reflexões acerca das características do conhecimento mobilizado em discussões de natureza científica e sociocientífica.
Título em inglês
The knowledge mobilized by high school students in formulating arguments about scientific and social-scientific issues
Palavras-chave em inglês
Arguments
Enculturation
Science education
Resumo em inglês
In contemporary society, science proves important for people to criticize, argue, and position themselves. It is, therefore, important to understand the mechanisms of operation and production of this form of knowledge. Currently, science is recognized as a form of culture with its own values, language, practices, perceptions, theories and beliefs. In science education, several authors have used the idea of science learning as enculturation. This design provides for the development of multiple practices in the classroom in order to facilitate alignment of the students in this culture and foster the acquisition of new knowledge. Regarding the language of science, the argument plays a distinctive feature, and it has been shown by many researches that, in terms of the interface between argumentation and science teaching, there are few opportunities for students to develop their argument-building skills. With this background, this study examined the arguments raised by secondary education classes, in order to identify, among the knowledge mobilized by the students to construct their speeches, the relationship with scientific knowledge. We also sought to characterize such argumentsby analyzing whether they ratify the link between scientific culture and the scientific knowledge transmitted at school. . Our reference to analyze the data is the argument's layout as presented by Toulmin (2006) and, to analyze the knowledge mobilized by students, we used references that work with the epistemic dimension of science education, namely Jimenez-Aleixandre et al (1998, 2000). We analyzed two teaching sequences for data collection, out of which two specific classes were thoroughly analyzed. In the first class students were discussing a scientific problem and, in the second, a social-scientific one. Our data showed that when students discuss scientific issues, they refer to scientific knowledge on their speeches.. However when they discuss a social-scientific issue, they partially refer to scientific knowledge, resorting to other fields of knowledge as well. These observations corroborate the data discussed on our reference literature, however, further studies are required, as well as reflection on the characteristics of knowledge mobilized in scientific and social-scientific discussions.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-06-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.