• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.82.2020.tde-27022020-142758
Documento
Autor
Nome completo
Fernando Bento Cunha
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Carlos, 2018
Orientador
Banca examinadora
Cunha, Marcelo Rodrigues da (Presidente)
Machado, Itibagi Rocha
Plepis, Ana Maria de Guzzi
Santos Junior, Arnaldo Rodrigues dos
Título em português
Estudo comparativo de membrana serosa porcina e de elastina no reparo de defeitos na calvária de ratos
Palavras-chave em português
Colágeno
Elastina
Hidroxiapatita
Proteína morfogenética óssea
Regeneração óssea
Resumo em português
As patologias que provocam perdas ósseas extensas ainda, utilizam o enxerto ósseo autólogo como tratamento padrão-ouro. Contudo, devido a limitação quantitativa, apresentam-se como alternativa o uso de biomateriais de elastina e colágeno da serosa do intestino porcino com hidroxiapatita, bem como a associação com a proteína morfogenética óssea em terapias regenerativas do tecido ósseo. O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial osteogênico de matrizes poliméricas naturais à base de elastina derivada da cartilagem auricular bovina e colágeno da serosa de intestino porcino, utilizadas isoladamente ou em associação a hidroxiapatita e proteína morfogenética óssea, no reparo de defeitos ósseos no crânio de ratos. Foram utilizados 63 ratos (Rattus norvegicus, Wistar), machos, com peso aproximado de 360 gramas e 16 semanas de idade. Os animais foram submetidos ao procedimento cirúrgico para a criação do defeito ósseo no osso parietal esquerdo e divididos em 7 grupos com 09 animais cada. Os grupos foram implantados com os seguintes biomateriais: grupo 1 controle (G1-C) sem implante, grupo 2 (G2-E24/37) membrana de elastina tratada 24h a 37°C , grupo 3 (G3-E24/37/HA) membrana de elastina tratada 24h a 37°C e hidroxiapatita, grupo 4 (G4-E24/37/BMP) membrana de elastina tratada 24h a 37°C e proteína morfogenética óssea, grupo 5 (G5-SIP24/25) membrana colágeno da serosa intestino porcino tratada 24h a 25°C, grupo 6 (G6-SIP24/25/HA) membrana colágeno da serosa intestino porcino tratada 24h a 25°C e hidroxiapatita, grupo 7 (G7-SIP24/25/BMP) membrana colágeno da serosa intestino porcino tratada 25°C e proteína morfogenética óssea. Após a morte indolor induzida em 6 semanas, as peças anatomicas das calotas cranianas foram retiradas para análise macroscópica, radiológica, histológica e morfométrica. Resultados: As análises macroscópicas, radiográficas e histológicas demonstraram a biocompatibilidade dos biomaterias utilizadas. As médias e desvios-padrão do volume percentual relativo de osso neoformado no defeito craniano do grupo controle (G1), dos grupos enxertados com membrana de elastina 24h/37°C (G2 a G4) e dos grupos enxertados com membrana de serosa de intestino porcino 24h/25°C (G5 a G7), foram: 5,86±2,87; 13,68±1,44; 17,65±1,85; 29,46±3,21; 53,20±4,46; 30,45±4,12; 38,47±5,32, respectivamente. Os biomateriais mostraram-se biocompatíveis e o grupo 5 (G5-SIP24/25) apresentou a maior neoformação óssea.
Título em inglês
Comparative study of porcine serous membrane and elastin in the repair of defects in calvaria of rats.
Palavras-chave em inglês
Bone morphogenetic protein
Bone regeneration,
Collagen
Elastin
Hydroxyapatite
Resumo em inglês
Introduction: Pathologies that cause extensive bone loss still use autologous bone graft as the gold standard treatment. However, due to quantitative limitation, the use of elastin biomaterials and porcine intestinal serosa collagen with hydroxyapatite, as well as the association with bone morphogenetic protein in regenerative bone tissue therapies are presented as alternatives. Objectives: To evaluate the osteogenic potential of natural polymer matrices based on elastin derived from bovine auricular cartilage and porcine gut serosa collagen, used alone or in combination with hydroxyapatite and bone morphogenetic protein, in the repair of bone defects in the skull of rats. Materials and Methods: 63 male rats (Rattus norvegicus, Wistar) weighing approximately 360 grams and 16 weeks of age were used. The animals were submitted to the surgical procedure to create the bone defect in the left parietal bone and were divided into 7 groups with 9 animals each. The groups were implanted with the following biomaterials: group 1 control (G1-C) without implant, group 2 (G2-E24 / 37) elastin membrane treated for 24h at 37 ° C, group 3 (G3-E24 / 37 / HA) elastin membrane treated for 24h at 37 ° C and hydroxyapatite, group 4 (G4-E24 / 37 / BMP) elastin membrane treated 24 h at 37 ° C and bone morphogenetic protein, group 5 (G5- SIP24/25) porcine intestinal serosa collagen membrane treated for 24h at 25° C, group 6 (G6- SIP24/25/ HA) porcine intestinal serosa collagen membrane treated for 24h at 25° C and hydroxyapatite, group 7 (G7- SIP24/25 / BMP) porcine intestinal serosa collagen membrane treated for 24h at 25° C and bone morphogenetic protein. After painless death induced in 6 weeks, the anatomical parts of the skull caps were removed for macroscopic, radiological, histological and morphometric analysis. Results: Macroscopic, radiographic and histological analyzes demonstrated the biocompatibility of the biomaterials used. The mean and standard deviations of the relative percentage volume of newly formed bone in the cranial defect of the control group (G1), the grafted groups with the elastin membrane 24h / 37 ° C (G2 to G4) and the grafted groups with the porcine intestinal serosa collagen membrane 24h / 25 ° C (G5 to G7) were: 5,86 ± 2,87; 13,68 ± 1,44; 17,65 ± 1,85; 29,46 ± 3.21; 53,20 ± 4,47; 30,45 ± 4,12; 38,47 ± 5,32, respectively Conclusion: Biomaterials were biocompatible and group 5 (G5- SIP24/25) showed the greatest bone neoformation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-03-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.