• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.83.2013.tde-08012014-150116
Documento
Autor
Nome completo
Rejane Kiyomi Furuya
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Rossi, Lidia Aparecida (Presidente)
Ciol, Márcia Aparecida
Dantas, Rosana Aparecida Spadoti
Hoffman, Jeanne Marie
Rodrigues, Roberta Cunha Matheus
Título em português
Programa educativo com seguimento por telefone para pacientes submetidos à intervenção coronária percutânea: ensaio clínico controlado e aleatorizado
Palavras-chave em português
Autoeficácia
Doença da artéria coronariana
Educação de pacientes como assunto
Educação em saúde
Enfermagem
Ensaio clínico
Ensaio clínico controlado aleatório
Intervenção coronária percutânea
Telefone
Resumo em português
Introdução. A intervenção coronária percutânea (ICP) é um dos tratamentos para pacientes com doença arterial coronária (DAC). Essa intervenção deve ser acompanhada de outras medidas terapêuticas com o intuito de reduzir as incapacidades e o risco de novos eventos coronários; de controlar a progressão da doença; e de melhorar a qualidade de vida. Essas medidas compreendem a prevenção secundária da DAC e estão, principalmente, relacionadas às mudanças no estilo de vida para o manejo de fatores de risco para DAC. O contato por telefone tem sido utilizado por profissionais da área da saúde para o seguimento do paciente e da família no cuidado com diversas condições crônicas, incluindo a DAC. Objetivo. Desenvolver, implementar e avaliar um programa educativo com seguimento por telefone, durante o período de quatro meses após a alta hospitalar, para pacientes submetidos à ICP com o objetivo de melhorar o estado de saúde percebido, a autoeficácia, a adesão aos medicamentos e o estado emocional desses pacientes, bem como comparar desfechos do Programa Educativo com os de serviços de rotina hospitalar. Método. Ensaio clínico controlado e aleatorizado, realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. A amostra deste estudo foi constituída pelos pacientes submetidos à primeira ICP, entre agosto de 2011 e junho de 2012. Os participantes foram aleatorizados para o Programa Educativo com Seguimento por Telefone (grupo intervenção [GI]: 30 participantes) ou cuidado conforme a rotina da instituição (grupo controle [GC]: 30 participantes). O referencial teórico que fundamentou o Programa Educativo aplicado neste estudo foi o construto de autoeficácia, presente na Teoria Social Cognitiva de Albert Bandura. O desfecho principal foi o estado de saúde percebido, avaliado pelo Medical Outcomes Survey 36- Item Short Form (SF-36), e os desfechos secundários foram a autoeficácia avaliada pela Escala de Autoeficácia Geral Percebida, a adesão aos medicamentos por meio do instrumento Medida de Adesão aos Tratamentos (MAT) e o estado emocional (ansiedade e depressão) avaliado pela Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS). Os desfechos foram avaliados antes do procedimento (T0) e seis meses após a ICP (T1). A análise foi por análise descritiva, análise de variância para medidas repetidas, teste de Qui-quadrado e risco relativo com intervalo de confiança de 95%. O nível de significância foi de 0,05. Este ensaio clínico foi registrado sob o número NCT01341093. Resultados. Na avaliação do estado de saúde percebido, com um nível de significância de 0,05, nenhuma interação (tempo e grupo) ou grupo foi estaticamente significante, mas houve interação entre tempo e grupo com valores de nível de significância entre 0,05 e 0,10 no Sumário do Componente Mental (p=0,08) e no domínio Aspectos Emocionais (p=0,07) e melhora no domínio Aspectos Sociais no GI (p=0,10). Na avaliação da autoeficácia, não houve diferenças entre os grupos ou tempos. Houve alta percentagem de participantes que relataram adesão aos medicamentos nos tempos T0 e T1, nos dois grupos (mais de 90% inicial e no seguimento). Na avaliação da ansiedade, seis meses após a ICP, houve aumento de não-caso de ansiedade no GI e diminuição no GC, e a associação entre as variáveis foi estatisticamente significante (p=0,04). Ao final do seguimento, o risco relativo do GI de ser não-caso de ansiedade foi de 1,6 (intervalo de confiança [IC] de 95%=1,0 a 2,4) quando comparado com o GC. Em relação à depressão, não houve evidência de diferenças no percentual de pacientes não- caso de depressão entre os grupos (GI e GC), tanto na internação como no seguimento. Ao final do seguimento, o risco relativo do GI de ser não-caso de depressão foi de 0,8 (intervalo de confiança [IC] de 95%=0,6 a 1,1), quando comparado com o GC. Conclusão. O Programa Educativo com Seguimento por Telefone é uma intervenção promissora para melhorar o estado de saúde percebido e para reduzir a ansiedade de pacientes submetidos à ICP. Pode ser necessário aperfeiçoar a intervenção para que haja efeitos na autoeficácia e na depressão. Os instrumentos para medidas de autoeficácia e de adesão aos medicamentos precisam ser melhorados
Título em inglês
Educational Program with Telephone Follow-up for patients submitted to percutaneous coronary intervention: randomized controlled clinical trial
Palavras-chave em inglês
Clinical trial
Coronary disease
Health education
Nursing
Patient education as topic
Percutaneous coronary intervention
Randomized controlled trial
Self-efficacy
Telephone
Resumo em inglês
Introduction. Percutaneous coronary intervention (PCI) is one of the treatments available for coronary artery disease (CAD) patients. This intervention should be accompanied by other therapeutic interventions with the aim of reducing disabilities and the risk of new coronary events, controlling the progression of the disease, and improving the quality of life. These interventions comprise the secondary prevention of CAD and are mainly related to lifestyle changes, aiming to manage risk factors for CAD. Health professionals have used telephone follow-up to monitor patients and families in the delivery of care to different chronic conditions, including CAD. Objective. To develop, to implement and to assess an educational program with telephone follow-up, during four months after hospital discharge, for patients submitted to PCI, with the aim of improving the perceived health status, self-efficacy, medication adherence and emotional status of these patients, as well as to compare outcomes of the Educational Program with routine hospital services. Method. Randomized controlled clinical trial, developed at the Ribeirão Preto Medical School Hospital das Clínicas, Brazil. The study sample included patients who had been submitted to their first PCI between August 2011 and June 2012. The participants were randomly assigned to the Educational Program with Telephone Follow-up (intervention group [IG]: 30 participants) and routine care (control group [CG]: 30 participants). The theoretical framework that supported the Educational Program applied in this study was the self-efficacy construct in Albert Bandura's Social Cognitive Theory. The main outcome was the perceived health status, assessed using the Medical Outcomes Survey 36- Item Short Form (SF-36); and the secondary outcomes were self-efficacy, assessed using the Perceived General Self-Efficacy Scale; medication adherence, assessed using the Medida de Adesão ao Tratamento (MAT); and the emotional status (anxiety and depression), assessed using the Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). The outcomes were evaluated before the procedure (T0) and six months after the PCI (T1). Descriptive analysis was applied, as well as variance analysis for repeated measures, the chi-square test and relative risk, with the confidence interval set at 95%. Significance was set at 0.05. This clinical trial was registered under number NCT01341093. Results. In the assessment of the perceived health status, with significance set at 0.05, no interaction (time and group) or group was statistically significant, but interaction between time and group was verified, with significance levels ranging between 0.05 and 0.10 in the Mental Component Summary (p=0.08) and in the Emotional Aspects domain (p=0.07); as well as improvement in the Social Aspects domain for the IG (p=0.10). In the assessment of self-efficacy, no differences were found between the groups or times. Many participants indicated medication adherence at T0 and T1 in the two groups (more than 90% initially and during the follow-up). In the assessment of anxiety levels six months after the PCI, the number of non-cases of anxiety increased in IG and dropped in CG, with a statistically significant association between the variables (p=0.04). At the end of the monitoring, the relative risk of being a non-case of anxiety in IG corresponded to 1.6 (95% confidence interval [CI]=1.0 - 2.4) when compared to CG. As regards depression, no evidence was found of differences in the percentage of patients non-case of depression between the groups (IG and CG), neither during hospitalization nor during follow-up. At the end of the follow-up, the relative risk of IG being a non-case of depression corresponded to 0.8 (95% confidence interval [CI]= 0.6 - 1.1) when compared to CG. Conclusion. The Educational Program with Telephone Follow-up is a promising intervention to improve the perceived health status and reduce the anxiety of patients submitted to PCI. The intervention may need further development to influence self-efficacy and depression. Self-efficacy and medication adherence instruments need improvements
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
REJANEKIYOMIFURUYA.pdf (32.00 Mbytes)
Data de Publicação
2014-07-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.