• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.83.2010.tde-14012011-105644
Documento
Autor
Nome completo
Rosiane de Araujo Ferreira Feliciano
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Maria das Graças Bomfim de (Presidente)
Cano, Maria Aparecida Tedeschi
Mello, Débora Falleiros de
Pinto, Ione Carvalho
Ubeda, Elza Maria Lourenço
Título em português
Gestação na adolescência: vulnerabilidades e rede de proteção em São Carlos (SP)
Palavras-chave em português
Atenção Primária
Gravidez na adolescência
Rede de atenção
Saúde do Adolescente
Vulnerabilidade
Resumo em português
A gestação na adolescência (GA) ganha visibilidade e status de problema de saúde com o aumento de sua incidência em todo mundo, desde o início da década de 1970, período que ocorre uma queda na fecundidade nas demais faixas etárias. Estudos relacionam a GA à gravidez indesejada, maiores riscos materno-infantis e sociais. Em São Carlos, no decênio de 1998 a 2008 a taxa de GA diminuiu ao longo dos anos, porém o filho da adolescente ainda apresenta maior risco de morte no primeiro ano de vida. Tendo como pressupostos a pluralidade da adolescência e a determinação social do processo saúde-doença, o objetivo do estudo foi analisar as condições sociais e os indicadores de saúde da população feminina de São Carlos na perspectiva da vulnerabilidade, com ênfase na territorialização das disparidades intra-urbanas da gestação na adolescência e no potencial de enfrentamento das ações, programas e projetos desenvolvidos pelo Estado. A vulnerabilidade aqui é entendida como indicador de iniquidade e desigualdade social. O referencial teórico adotado Fo o de vulnerabilidade proposto pro Ayres et al. (2003), que distingue três dimensões interdependentes: a individual, a social e a programática. Trata-se de estudo de caso, descritivo e exploratório utilizando técnicas de sistemas de informação geográfica. A análise espacial foi contextualizada pela análise de documentos, protocolos das estratégias de enfrentamento pelo Estado. O perfil da gestante adolescente foi ter oito a onze anos de estudo, não estudar, não trabalhar ou se insere precariamente no mercado de trabalho e realizava menor número de consultas no pré-natal. Metade das mães adolescentes eram multipara. O mapa da gestação na adolescência acompanha o das vulnerabilidades sociais relacionadas à educação, ao trabalho, à multiparidade e ao acesso ao pré-natal. A abordagem ampliada da gestação na adolescência acena para os impactos dos determinantes sociais da saúde e as demandas crescentes por construção intersetorial das políticas, projetos e programas. As vulnerabilidades programáticas foram: baixo acesso ao ensino médio, à cursos profissionalizantes e ao esporte e lazer. Na atenção à saúde, a exclusão dos homens no planejamento familiar e pré-natal reforça a feminilização da maternidade e anticoncepção. O atendimento à gestante adolescente na agenda da mulher adulta reforça a crença de que a gestação é um rito de passagem para a vida adulta. O município têm várias políticas de proteção o que demonstra que a rede de proteção à adolescência e juventude está em construção. Os projetos municipais de gestão intersetoriais localizados no território, como os Centros da Juventude, o Recriad e o OP Educa apresentam-se como os de maior potencial para redução das iniquidades sociais. O georreferenciamento dos indicadores de saúde revelou-se importante ferramenta de planejamento, monitoramento e avaliação da atuação da rede de proteção à adolescência e juventude.
Título em inglês
Pregnancy in adolescence: vulnerabilities and protection network in São Carlos
Palavras-chave em inglês
adolescent health
network attention
primary health care
teenage pregnancy
vulnerability
Resumo em inglês
Adolescent pregnancy (GA) has gained visibility and status of health problem with increasing incidence worldwide, since the early 1970s, a period that occurs in the fertility decline in other age groups. Studies related to GA to unwanted pregnancy, higher maternal and infant risks and social issues. In San Carlos, in the decade from 1998 to 2008 the rate of GA decreased over the years, but the son of a teenager still at higher risk of death in the first year of life. Was assumed that the plurality of adolescence and the social determinants of healthdisease process, the objective was to analyze social conditions and health indicators of the female population of San Carlos in the vulnerability perspective, focusing on territorial disparities within cities of teenage pregnancy and the potential for coping actions, programs and projects developed by the state. The vulnerability is understood here as an indicator of inequity and inequality. The theoretical approach to vulnerability Fo proposed pro Ayres et al. (2003), which distinguishes three interdependent dimensions: the individual, social, and programmatic. This is a case study, descriptive and exploratory techniques using geographic information systems. Spatial analysis was grounded for examining documents, protocols of the coping strategies by the state. The profile of the pregnant teenager was having eight to eleven years of study, not studying, not working or falls precariously in the labor market and carried smallest number of pre-natal care. Half the teenage mothers were multipara. The map of teenage pregnancy accompanies the social vulnerabilities related to education, labor, multiparity, and access to prenatal care. The expanded approach to teenage pregnancy waves to the impact of social determinants of health and the increasing demands by building intersectoral policies, projects and programs. Programmatic vulnerabilities were low access to secondary education, to vocational courses and sports and leisure. In health care, the exclusion of men in family planning and prenatal care increases the feminization of motherhood and contraception. The care for pregnant adolescents in adult women's agenda reinforces the belief that pregnancy is a rite of passage to adulthood. The city has several protective policies which demonstrates that the safety net of adolescence and youth is under construction. The municipal project management intersectoral located in the territory, as the Centers for Youth and the OP Recriad Educa present themselves as the greatest potential for reducing social inequities. Geocoding of health indicators was an important tool for planning, monitoring and evaluating the performance of safety net to adolescence and youth.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-03-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.