• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.9.2013.tde-23052013-145846
Documento
Autor
Nome completo
Flávia Carvalho Sobreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Bacchi, Elfriede Marianne (Presidente)
Montanari Junior, Ilio
Suffredini, Ivana Barbosa
Título em português
Avaliação da atividade antiúlcera de Kalanchoe pinnata (lam.) Pers (crassulaceae)
Palavras-chave em português
Kalanchoe pinnata
Perfil cromatográfico
Quercetina 3-O-α-L-arabinopiranosil (1→2) α-L-ramnopiranosídeo
Quercitrina
Úlcera gástrica
Resumo em português
Plantas medicinais são utilizadas tradicionalmente pela população para a prevenção e tratamento da úlcera gástrica. A úlcera gástrica é uma patologia heterogênea de etiologia multifatorial. É uma doença que acomete pessoas em todo mundo tendo como consequência a elaboração de fármacos com a finalidade de amenizar os sintomas e possibilitar a cura. Entretanto, o tratamento prolongado com os recursos terapêuticos disponíveis pode ocasionar vários efeitos colaterais. Extrato de folhas de Kalanchoe pinnata (Lam.) Pers. (Crassulaceae) é utilizado pela população para o tratamento de problemas gástricos. Esta espécie está incluída na Relação Nacional de Plantas com Interesse ao SUS (RENISUS). Com a finalidade de investigar a atividade antiúlcera foram ensaiados dois modelos de lesões gástricas em animais. No modelo de indução por etanol acidificado, o extrato bruto de K. pinnata apresentou diminuição das lesões gástricas em 74% na dose de 200 mg/kg (p<0.05) e de 98% (p<0.01) na dose de 400 mg/kg. A fração acetato de etila, quando experimentada nas doses de 100 mg/kg, 200 mg/kg e 400 mg/kg, exibiu significante redução nas lesões gástricas (p<0.001), em 77%, 95% e 96%, respectivamente. O ensaio com a fração aquosa também mostrou gastroproteção visualizada pela diminuição das úlceras gástricas em 69% e 91% nas doses de 200 mg/kg (p<0.05) e 400 mg/kg (p<0.01), respectivamente. Em modelo de indução por ácido acético não houve diferença estatística na redução da lesão gástrica nas doses (100 mg/kg, 200 mg/kg e 400 mg/kg) analisadas de extrato bruto de K. pinnata, após 7 dias de tratamento. No entanto, foi observado uma tendência na redução da lesão gástrica nas doses de 200 mg/kg e 400 mg/kg. Células polimorfonucleares, células mononucleares, fibroblastos e matriz extracelular foram quantificadas pela técnica de estimativa de volume celular, para verificação do processo de cicatrização. Foi constatado que nas doses de 200 mg/kg e 400 mg/kg ocorreu uma redução da fração de volume ocupada por leucócitos polimorfonucleares, favorecendo a promoção do reparo da mucosa gástrica. Paralelamente aos estudos farmacológicos, foi efetuada a padronização do extrato e frações, a obtenção do perfil cromatográfico por Cromatografia em Camada Delgada (CCD) do extrato bruto e frações (clorofórmica, acetato de etila e aquosa) e também por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) das frações acetato de etila e aquosa. O cromatograma resultante da fração acetato de etila evidenciou dois picos de maior intensidade e o perfil cromatográfico da fração aquosa apresentou um composto majoritário. Os compostos majoritários foram isolados e caracterizados como pertencentes à classe dos flavonoides. Quercitrina foi isolada da fração acetato de etila e quercetina 3-O-α-L-arabinopiranosil (1→2) α- L-ramnopiranosídeo foi isolada em ambas as frações. Os resultados da quantificação de flavonoides, da quantificação de substâncias fenólicas e da atividade antioxidante estão em consonância com os resultados biológicos apresentados, sugerindo uma possível relação dos flavonoides presentes no extrato com a atividade gastroprotetora e com a facilitação da cicatrização de úlceras gástricas.
Título em inglês
Antiulcer activity from Kalanchoe pinnata (Lam.) Pers. (Crassulaceae).
Palavras-chave em inglês
Chromatographic profile
Gastric ulcer
Kalanchoe pinnata
Quercetin 3-O-α-L-arabinopyra (1→2)α-L-rhamnopyranoside
Quercitrin
Resumo em inglês
Traditionally medicinal plants have been used to prevent and to treat gastric ulcer. Gastric ulcer is a heterogeneous disease of mutifactorial etiology. This illness affects a considerable number of people in the world. The clinical importance about this pathology resulted in the development of pharmaceutical products. However, these pharmaceutical products are not completely effective and produce many adverse effects. Extract of leaves of Kalanchoe pinnata (Lam.) Pers. (Crassulaceae) is often used for treating gastric ulcer by the population. K. pinnata is included in RENISUS. So, two distinct ulcer models in rats were performed. For this were realized two distinct ulcer models in rats. In acidified ethanol model, the crude extract from leaves of K. pinnata showed a protection of about 74% (p<0.05) at the dose of 200 mg/kg and 98% (p<0.01) at the dose of 400 mg/kg. Significant inhibition (p<0.001) of gastric ulcer by 77%, 95% and 96% was observed in pretreatment with ethyl acetate fraction at all the doses (100 mg/kg, 200 mg/kg and 400 mg/kg), respectively. The aqueous fraction reduced gastric lesions about 69% (p<0.05) and 91% (p<0.01) at the doses of 200 mg/kg and 400 mg/kg (p<0.01), respectively. In acid acetic model a statistic difference in reduction of gastric ulcer for all doses of the crude extract, after 7 days of treatment, wasn't observed. Nevertheless, the tendency about healing ulcer was verified for doses of 200 mg/kg and 400 mg/kg. Polymorphonuclear cells, mononuclear cells, fibroblasts and extracellular matrix were quantified by the technique of volume estimation to detect healing effects on gastric ulcer. These doses of 200 mg/kg and 400 mg/kg reduced the volume fraction occupied by polymorphonuclear cells. This fact contributes to healing of gastric ulcer. In parallel with the pharmacological studies, the standardization of the extract and fractions was made. The chemical analysis was performed through TLC (thin layer chromatography) and HPLC (high-performance liquid chromatography). The HPLC assay showed the presence of two major components in ethyl acetate fraction and one major presence of a component in aqueous fraction. These compounds were isolated and identified as flavonoids. Quercitrin was isolated from ethyl acetate fraction and quercetin 3-O-α-L-arabinopyranosyl (1→2) α-L-rhamnopyranoside was identified in the both fractions. The results of flavonoid quantification, phenolic quantification and antioxidant activity are probably correlated with the pharmacologic activity presented. These results suggest that the flavonoids present in the extract can promote gastroprotection and facilitate the healing of gastric ulcer.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-06-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.