• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.98.2016.tde-26042016-083838
Documento
Autor
Nome completo
Santiago Raul Arrieta
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Pedra, Carlos Augusto Cardoso (Presidente)
Assef, Jorge Eduardo
Martins, Tâmara Cortez
Silva, Célia Maria Camelo
Título em português
Papel do ecocardiograma transesofágico tridimensional na ótima seleção do dispositivo para o tratamento percutâneo da comunicação interatrial tipo ostium secundum
Palavras-chave em português
Cateterismo cardíaco
Comunicação interatrial
Ecocardiografia tridimensional
Fechamento percutâneo
Resumo em português
INTRODUCAO: A comunicação interatrial tipo "ostium secundum" é um defeito cardíaco congênito caracterizado pela deficiência parcial ou total da lâmina da fossa oval, também chamada de septo primo. Corresponde a 10 a 12% do total de cardiopatias congênitas, sendo a mais frequente na idade adulta. Atualmente a oclusão percutânea é o método terapêutico de escolha em defeitos com características anatômicas favoráveis para o implante de próteses na maioria dos grandes centros mundiais. A ecocardiografia transesofágica bidimensional com mapeamento de fluxo em cores é considerada a ferramenta padrão-ouro para a avaliação anatômica e monitoração durante do procedimento, sendo crucial para a ótima seleção do dispositivo. Neste sentido, um balão medidor é introduzido e insuflado através do defeito de forma a ocluí-lo temporariamente. A medida da cintura que se visualiza no balão (diâmetro estirado) é utilizada como referência para a escolha do tamanho da prótese. Recentemente a ecocardiografia tridimensional transesofágica em tempo real tem sido utilizada neste tipo de intervenção percutânea. Neste estudo avaliamos o papel da mesma na ótima seleção do dispositivo levando-se em consideração as dimensões e a geometria do defeito e a espessura das bordas do septo interatrial. METODO: Estudo observacional, prospectivo, não randomizado, de único braço, de uma coorte de 33 pacientes adultos portadores de comunicação interatrial submetidos a fechamento percutâneo utilizando dispositivo de nitinol autocentrável (Cera ®, Lifetech Scientific, Shenzhen, China). Foram analisadas as medidas do maior e menor diâmetro do defeito, sua área e as medidas do diâmetro estirado com balão medidor obtidas por meio das duas modalidades ecocardiográficas. Os defeitos foram considerados como elípticos ou circulares segundo a sua geometria; as bordas ao redor da comunicação foram consideradas espessas (>2 mm) ou finas. O dispositivo selecionado foi igual ou ate 2 mm maior que o diâmetro estirado na ecocardiografia transesofágica bidimensional (padrão-ouro). Na tentativa de identificar uma variável que pudesse substituir o diâmetro estirado do balão para a ótima escolha do dispositivo uma série de correlações lineares foram realizadas. RESULTADOS: A idade e peso médio foram de 42,1 ± 14,9 anos e 66,0 ± 9,4kg, respectivamente; sendo 22 de sexo feminino. Não houve diferenças estatísticas entre os diâmetros maior e menor ou no diâmetro estirado dos defeitos determinados por ambas as modalidades ecocardiográficas. A correlação entre as medidas obtidas com ambos os métodos foi ótima (r > 0,90). O maior diâmetro do defeito, obtido à ecoardiografia transesofágica tridimensional, foi a variável com melhor correlação com o tamanho do dispositivo selecionado no grupo como um todo (r= 0,89) e, especialmente, nos subgrupos com geometria elíptica (r= 0,96) e com bordas espessas ao redor do defeito (r= 0,96). CONCLUSÃO: Neste estudo em adultos com comunicações interatriais tipo ostium secundum submetidos à oclusão percutânea com a prótese Cera ®, a ótima seleção do dispositivo pôde ser realizada utilizando-se apenas a maior medida do defeito obtida na ecocardiografia transesofágica tridimensional em tempo real, especialmente nos pacientes com defeitos elípticos e com bordas espessas.
Título em inglês
Role of three-dimensional transesophageal echocardiography in optimal device selection for percutaneous treatment of the ostium secundum atrial septal defect
Palavras-chave em inglês
Cardiac catheterization
Secundum atrial septal defect
Three-dimensional echocardiography
Transcatheter closure
Resumo em inglês
INTRODUCTION: The ostium secundum atrial septal defect is a congenital heart disease characterized by partial or total deficiency of the fossa ovalis, also known as the septum primum. It corresponds to 10-12% of all congenital heart defects, being the most frequently found in adulthood. Currently, percutaneous closure is the therapeutic method of choice for defects with suitable anatomic features for device implantation in most centers in the world. Bi-dimensional transesophageal echocardiography with color flow mapping is considered the gold-standard tool for anatomic assessment and procedural monitoring, being crucial for optimal device selection. In this regard, a sizing balloon is introduced and inflated across the defect with temporary occlusion. The waist measurement seen on the balloon (stretched diameter) is used as a reference for selection of device size. Recently, real time three-dimensional transesophageal echocardiography has been utilized in this type of percutaneous intervention. In this study we assessed the role of this modality in optimal device selection taking into consideration the dimensions and the geometry of the defect and the thickness of the interatrial septum rims. METHODS: Observational, prospective, non-randomized, single-arm study of a cohort of 33 adults with atrial septal defects submitted to percutaneous closure using a self-centered nitinol device (Cera (TM), Lifetech Scientific, Shenzhen, China). The largest and the smallest diameter of the defect, its area and the measurements of the stretched diameter of the sizing balloon were assessed by both echocardiographic modalities. The defects were considered as elliptical or circular according to their geometry; the rims surrounding the defect were considered thick (> 2 mm) or thin. The selected device was equal to or 2 mm larger than the stretched diameter on bi-dimensional transesophageal echocardiography (gold-standard). In an attempt to identify a variable that could replace the stretched balloon diameter, a series of linear correlations were performed. RESULTS: The mean age and weight were 42.1 ± 14.9 years and 66.0 ± 9.4 kgs, respectively; being 22 of the female gender. There were no statistical differences between the largest and smallest diameters of the defects and the stretched diameters determined by both echocardiographic modalities. The correlation between the measurements obtained by both methods was excellent (r > 0.90). The largest defect diameter obtained by three-dimensional transesophageal echocardiography was the variable that showed the best correlation with the selected device size in the entire group (r= 0.89), especially in the subgroups with elliptical geometry (r= 0.96) and with thick rims surrounding the defect (r=0.96). CONCLUSIONS: In this study in adults with ostium secundum atrial septal defects submitted to percutaneous occlusion with the Cera (TM) device, optimal device selection could be performed using solely the largest diameter of the defect obtained by real time three-dimensional transesophageal echocardiography, especially in patients with elliptical defects and thick rims.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-07-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.