• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Livre Docencia
DOI
10.11606/T.25.2012.tde-19012012-164122
Documento
Autor
Nome completo
Linda Wang
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2011
Banca examinadora
Mondelli, Rafael Francisco Lia (Presidente)
Duarte, Marco Antonio Hungaro
Martins, Luis Roberto Marcondes
Oda, Margareth
Paulillo, Luis Alexandre Maffei Sartini
Título em português
Efeito do processo erosivo causado por diferentes bebidas na resistência a união de diferentes sistemas adesivos em superfície de esmalte: análise in vitro e in situ/ex vivo
Palavras-chave em português
Desgaste
Erosão
Esmalte
Microdureza
Resistência adesiva
Resumo em português
A erosão dentária consiste em uma das causas de desgaste dentário que acomete inicialmente o esmalte, por meio de um amolecimento da superfície, podendo comprometer também a dentina. A compreensão do mecanismo erosivo permite determinar estratégias para sua prevenção, controle e tratamento. Em função do comprometimento do esmalte, esse substrato requer, em alguns casos, o tratamento por meio de restauração adesiva. Este trabalho consta de três fases e teve por objetivo analisar a união de diferentes sistemas adesivos a superfícies de esmalte, após ciclagem erosiva in vitro e in situ/ex vivo. Inicialmente, um estudo in vitro foi realizado envolvendo desafios por 3x/1minutos/1dia por 3 bebidas erosivas à base de cola (Coca-Cola Regular, Coca Light e Coca Zero) associados ou não à escovação. Fragmentos de esmalte bovino foram adequadamente obtidos, polidos e selecionados através de teste de microdureza. Após os desafios, foram restaurados com o sistema convencional de dois passos Adper Single Bond 2 e preparados para testes quantitativos de desgaste, microdureza, e de resistência adesiva e qualitativa por microscopia de varredura confocal a laser. Uma vez que a Coca-Cola Regular foi o agente mais erosivo, as demais fases foram realizadas unicamente com sua utilização. Assim, as hipóteses nulas testadas nas duas fases seguintes foram: 1- Não há diferença de adesão ao esmalte normal ou erodido/abrasionado; 2- Não há diferença de adesão ao esmalte erodido/abrasionado de acordo com o sistema adesivo utilizado. Para os testes in vitro, os mesmos passos foram seguidos, entretanto, com desafios erosivos de 3x/1min de imersão por 1 ou 5 dias, associados ou não à escovação. No teste in situ/ex vivo, 8 fragmentos de esmalte foram preparados para cada dispositivo intrabucal. A cada 24 horas, os voluntários efetuaram 3 ciclos extrabucais de 3x/5min em Coca-Cola em metade dos blocos. Metade dos blocos não erodidos e erodidos foram seqüencialmente escovados por 1 minuto. Ao final de 5 dias, os dispositivos foram recolhidos e os espécimes foram identificados. Após os desafios in vitro e in situ/ex vivo, as superfícies de esmalte foram restauradas com diferentes sistemas adesivos (ScotchbondMultipurpose, Adper Single Bond 2 e Clearfil SE Bond) e resina composta (Filtek Z250). Palitos com 0,64-1,00mm2 de área média foram obtidos e submetidos ao teste de resistência adesiva por microtração em máquina de ensaios universal a 0,5mm/min. As interfaces rompidas foram analisadas sob microscopia ótica 40X para identificar o modo de fratura. Os dados apresentaram distribuição normal e foram analisados por ANOVA e testes de comparação múltipla (p<0,05). Na primeira fase, a Coca-Cola Regular apresentou-se como o agente erosivo que promoveu a maior alteração da superfície de esmalte, comprometendo a resistência adesiva e a qualidade da interface. Na fase in vitro, não houve diferença de resistência adesiva quando os diferentes sistemas adesivos foram aplicados, entretanto para a fase in situ/ex vivo, o Adper Single Bond 2 revelou-se inferior. Baseados nesses resultados, podemos concluir que as bebidas à base de cola podem comprometer as características da superfície de esmalte e que os sistemas adesivos podem apresentar desempenhos distintos nesses substratos após desafios.
Título em inglês
Effect of erosive process caused by different beverages on bond strength of different bonding systems to enamel: in vitro and in situ/ex vivo analyses
Palavras-chave em inglês
Bond strength
Enamel
Erosion
Microhardness
Wear
Resumo em inglês
Tooth erosion is considered a cause of dental wear with initial softening of enamel, which can also compromise dentin. The comprehension of erosive mechanism aids to determine its strategies of prevention, control and treatment. According to enamel compromising, it requires in some cases, an adhesive restoration approach. This study consisted of three phases and aimed to analyze adhesion of different bonding systems to enamel surface after in vitro and in situ/ex vivo erosive cycles. First, an in vitro experiment was performed involving 3 colabased beverages (Regular Coke, Light Coke and Zero Coke) challenged for 3x/1min for a day associated or not to toothbrushing. Enamel specimens were adequately prepared, polished and selected by microhardness. After challenges, they were restored by a two-step etch-and-rinse system (Adper Single Bond 2), which were prepared to quantitative tests of wear, microhardness and bonding and also qualitative analysis using confocal laser scanning microscopy. As Regular Coke was the most erosive agent, the following phases only used this beverage. Thus the null hypotheses were: 1- There is no difference on bonding to normal or eroded/abraded enamel surface; 2- There is no difference on bonding to eroded/abraded enamel according to dentin bonding system. For in vitro tests, same previous steps were performed however with erosive challenges for 3x/1min for 1 and 5 days, immediately associated or not to 1-minute toothbrushing. In in situ/ex vivo test, 8 specimens were prepared for each intraoral palatal device. Volunteers performed erosive challenge extraorally on half of the specimes in Regular Coke for 3x/5min for 5 days. Half of the not eroded and eroded specimens were subsequently abraded for 1 minute. After the end of 5 days, the devices were collected and the specimens were identified. After in vitro or in situ/ex vivo, enamel surfaces were restored with different dentin bonding systems (ScotchbondMultipurpose, Adper Single Bond 2 e Clearfil SE Bond) and resin composite (Filtek Z250). Sticks of 0.64-1.00 mm2 of average area were obtained and submitted to microtensile bond strength using a universal test machine with 0.5mm/min. Fractured specimens were analyzed by optical microscopy 40X to identify the fracture mode. Data presented normal distribution and was analyzed with ANOVA and by multiple comparison tests (p<0.05). At the first phase, Regular Coke presented as the most erosive agent, provoking the most changes on enamel surface and compromising bonding strength and interface quality. In vitro test showed no differences among the dentin bonding systems, however in in situ/ex vivo study, Adper Single Bond 2 was comparatively inferior to other systems. Based on these results, we can conclude that cola-based beverages can compromise characteristics of enamel surface and that the dentin bonding systems show different performance applied on challenged surfaces.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-01-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.